Ácido Fólico na Gravidez| Qual a forma correta de tomar

O ácido fólico na gravidez é importante para evitar a má formação fetal e diminuir o risco de aborto de primeiro trimestre. No entanto doses muitos elevadas podem causar o efeito reverso. Doses elevadas de ácido fólico vem sendo administradas por muitos médicos colocando em risco a saúde materna e fetal.

Como tomar ácido fólico na gravidez ?

A gestante deve tomar 400 mcg (microgramas) de ácido fólico diariamente até as 12 semanas de gestação.

Devem tomar cuidado para não exceder a dose com vitaminas suplementares.

Altas doses de ácido fólico na gravidez vem sendo associadas a maior incidência de problemas neuropsicomotores nos fetos. O autismo, sobrepeso, diabetes e até asma em crianças, são também problemas relacionados a esse excesso.

Mais informações sobre o impacto superdosagem de ácido fólico na saúde materna e fetal

Ação do Ácido Fólico na gravidez

O ácido fólico diminui em até 70% as chances de má formação fetal. Evita defeitos na formação do tubo neural evitando problemas como espinha bífida, anencefalia, lábio leporino, hidrocefalia, problemas cardíacos, encefalocele entre outros.

Evitando esses problemas diminui também as chances de aborto no primeiro trimestre.

Quem deve tomar doses maiores de ácido fólico na gravidez

Mulheres que fazem parte do grupo de risco devem utilizar doses maiores diárias de ácido fólico.

Portadoras de diabetes tipo 1, obesas com imc acima de 35, mulheres que tenham se submetido a cirurgia de redução de estômago ou intestino, baixo nível socioeconômico, que façam uso de anticonvulsivantes, que tenham tido febre muito alta no inicio da gravidez e principalmente as que tiverem tido filhos ou abortos anteriores por má formação fetal.

Para esses casos em específico, a dosagem de ácido fólico é de 4mg /dia.

Não tomei ácido fólico na gravidez. Meu bebê corre risco?

O ácido fólico na gravidez previne vários problemas e diminui o risco de aborto. No entanto não ter tomado ácido fólico na gravidez não indica que seu bebê terá problemas. É fato que se houver uma chance disso acontecer, sem o ácido fólico o risco será maior.

 

Efeitos colaterais do ácido fólico na gravidez

Algumas mulheres se queixam de prisão de ventre, enjoos, irritabilidade entre outros, no entanto esses sintomas são mais presentes quando o ácido fólico é utilizado em doses elevadas.

Ácido Fólico e Trombofilia

Mulheres trombofílicas devem evitar o uso do ácido fólico sintético (comprado em farmácias). As mutações da MTHFR, dificultam o processo de eliminação do excesso do ácido fólico pelo organismo, aumentando os níveis de homocisteína no sangue materno podendo causar derrames, problemas cardiovasculares, eclampsia entre outros.

Esse excesso de ácido fólico acumulado no organismo de mulheres com trombofilia pode ainda trazer danos a saúde do bebê. Esses bebês podem nascer com uma intoxicação subclínica que pode acarretar atraso no desenvolvimento, problemas gastrointestinais, problemas neurológicos, falta de apetite entre outros.

O ácido fólico na gravidez que deve ser usado por mulheres com trombofilia é o metilfolato, que é convertido adequadamente no organismo e com isso o excesso, caso haja, é eliminado sem dificuldades.

O metilfolato pode ser manipulado em farmácias de manipulação e a dose de administração correta e adequada é de 400 mcg dia, das tentativas até as 12 semanas de gestação.

Gravei um vídeo em que revelo um método que aumenta em até 76% as chances de engravidar. Nesse vídeo você vai encontrar técnicas secretas para aumentar a fertilidade que poucas mulheres tem acesso. Para assistir a esse vídeo, basta clicar nesse link: Quero assistir ao vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *