O ovário é o órgão responsável por desenvolver e liberar o óvulo. A maioria das mulheres possui dois ovários que se revezam nessa missão. A liberação do óvulo acontece por um ovário em um ciclo, e no ciclo seguinte é o outro que assume a tarefa. A ovulação é restabelecida sem qualquer prejuízo.

Mulheres que possuem um único ovário, ou aquelas que por algum motivo tiveram que retirar um dos ovários, ovulam normalmente todos os meses. O que permanece assume completamente a função ovulatória e promove a liberação de um óvulo a cada novo ciclo menstrual.

Sendo assim, é seguro afirmar que é possível engravidar sem dificuldades mesmo com um único ovário.

A dificuldade só existe caso não exista a trompa correspondente para conduzir o óvulo até o útero.

Em muitos casos o problema que afeta o ovário e exige sua retirada, também compromete a trompa. Quando é este o caso, e ambos os órgãos do mesmo lado são retirados, não existe comprometimento da fertilidade.

Menopausa precoce com apenas um ovário?

A resposta é curiosa se analisarmos com cuidado.

Nascemos com todos os óvulos que amadureceremos e liberaremos durante toda nossa vida fértil. Não existe renovação desse estoque. Diferente dos homens que renovam seus estoques de espermatozoides num curto espaço de tempo durante toda a sua vida, nós mulheres não nascemos com esse “super poder” e por isso a idade é um verdadeiro divisor de águas quando o assunto é fertilidade.

No entanto, quando perdemos um dos ovários, o outro além de assumir todo o exaustivo trabalho, controla a quantidade de folículos desenvolvidos a cada novo ciclo. Dessa forma é possível cobrir todos os anos férteis de uma mulher sem prejuízos. Diz lá se a natureza humana não é perfeita!

ovulação com apenas um ovárioRetirei os dois ovários, ainda posso engravidar?

Existe sim a possibilidade de gravidez para mulheres que não tenham os dois ovários. No entanto será necessário uma ajudinha da medicina.

É possível engravidar através de Fertilização in Vitro (FIV) com óvulos doados. A ovodoação está crescendo no Brasil e abrindo portas para muitas mulheres com infertilidade.

Existem hoje, estudos que mostram que o bebê, mesmo tendo sido concebido com os óvulos doados, carrega consigo uma parte das informações epigenéticas da mãe que o abrigou em seu ventre.

Olha ela aí de novo, a dona natureza em ação.

 

Deixe uma resposta