Pré natal | Os 10 exames mais importantes na gravidez

Parabéns,  seu positivo chegou e agora é oficial, tem um bebê a caminho! Chegou o momento  de ser picada, cutucada, monitorada, medida e observada por cerca de 40 semanas. É chegada a hora de dar início ao pré-natal. Essa parte não é tão emocionante e gostosa, mas certamente necessária e indispensável para manter a sua saúde e a de seu bebê em ordem.

A quantidade de exames médicos à que uma gestante é submetida durante toda a gravidez é esmagadora. Porém há duas vidas em jogo e essa é uma etapa importante para manter a saúde de ambos..

Para te ajudar a se preparar e encarar o pré-natal sem sustos preparamos algo muito útil. Listamos os 10 mais importantes exames médicos que são realizados durante todo o pré-natal..

1.Hemograma completo

O primeiro exame a ser realizado no pré-natal, é feito através de uma coleta de sangue. Hemograma completo e glicemia são o ponto alto do momento.

Corrigir uma possível anemia e controlar os níveis glicêmicos é o primeiro passo.

2.Doenças sexualmente transmissíveis

Verificar a composição celular do sangue durante as fases iniciais a gravidez é muito importante. É igualmente importante testar as amostras de sangue para doenças sexualmente transmissíveis. HIV, sífilis, herpes e hepatite B e C .

Muco cervical também pode ser colhido para verificar a existência de gonorreia e clamídia durante o pré-natal.

Descobrir essas doenças ainda no início da gestação é vital para saúde do feto. Sífilis e HIV podem infectar o bebê ainda no útero. Herpes genital, hepatite b e c , gonorreia e clamídia podem infectar o bebê durante sua passagem pelo canal vaginal durante o parto.

Doenças sexualmente transmissíveis podem causar uma série de complicações para um bebê. Transmissão da doença em si, parto prematuro, infecções de pele e oculares, aborto e morte fetal são algumas delas.

A chance de contaminação do bebê pelo HIV cai de 25 para 7% se a administração da medicação necessária for iniciada ainda no começo da gravidez.

Clamídia, Sífilis e gonorreia podem ser curadas com o uso de antibióticos seguros na gravidez.

Ainda com os litros de sangue retirados na primeira coleta é realizado o teste de RH sanguíneo. Claro que não são litros, mas são tantos tubos de coleta que é essa a impressão que temos. Não se assuste com a rotatividade dos tubos de coleta. Pode parecer exagero, mas a coleta é segura. Não esqueça de levar na bolsa uma bolacha e um suco para depois da coleta de sangue.

 

3.Teste de RH

O fator de RH é importante para saber se existirá a possibilidade do corpo da mulher reconhecer o embrião como ameaça ou não.

Isso ocorre porque algumas mulheres possuem o RH negativo. O fato é  caraterizado pela falta de uma proteína presente nas células sanguíneas de 85% da população. Se o pai for RH positivo e o bebê herdar o sangue Rh positivo, isso pode ser um problema.

O sistema imunológico materno acredita que o bebê é como algo alérgico e passa a atacar o sangue do bebê que pode acarretar uma condição conhecida como anemia hemolítica. Embora possível, é raro que isso ocorra.

Para gestantes com rh negativo é administrado em torno da 28ª semana de gestação e novamente 72 horas após o nascimento do bebê uma vacina que evitará que o organismo materno ataque o feto numa próxima gestação.

 

4.Exame de urina

Esse é um exame que você certamente fará algumas vezes ao longo da gestação, mas levando em conta que durante a gravidez fazer xixi com frequência é muito comum, você não terá problemas em realiza-lo.

O exame de urina é um dos mais importantes e pode dizer muito sobre a saúde da mãe. A quantidade de açúcar na urina é uma das razões mais importantes.  Se a quantidade de açúcar na urina for alta, poderá indicar diabetes gestacional. Essa é uma condição que geralmente começa na metade da gravidez. Na maioria dos casos pode ser controlada através da alimentação, mas em casos mais severos o uso de insulina pode ser necessário.

Seu médico também estará a procura de proteína na urina, bactérias e aumento de cetonas. Assim é possível diagnosticar infecções, desidratação e desnutrição, fatores que podem causar aborto ou parto prematuro.

Além de verificar as condições anteriormente descritas, o médico também vai estar à procura de sinais de uma condição conhecida como pré-eclâmpsia. No sangue, esta pode ser expressa por uma baixa contagem de plaquetas. Já na urina, a presença da proteína pode indicar que a condição está presente.

 

5.Pressão arterial

A pré-eclâmpsia afeta 7 por cento de todas as mulheres grávidas. Especialmente as mães de primeira viagem e gestantes de gemelares. É uma subida da pressão arterial devido à gravidez e normalmente acontece no segundo ou terceiro trimestre da gestação. A pré-eclâmpsia trás sérios riscos de saúde para a mãe e para o bebê. Os principais são a falta de fluxo de sangue para a placenta ou descolamento prematuro da placenta . Se não for tratada, pode avançar para eclampsia  que pode causar óbito fetal e materno.

É por isso que é fundamental  acompanhar de perto a pressão arterial durante toda a gravidez , especialmente durante a segunda metade. É importante ressaltar que a pressão arterial alta por si só não significa pré-eclâmpsia , esse diagnóstico deve ser acompanhado de proteína na urina.

6.Ultrassom

Ah os ultrassons! Esses são esperados e desejados por todas as gestantes. Digamos que é o ponto alto do pré-natal.

Durante toda a gestação são necessários pelo menos 4 ultrassons. O primeiro deve ser realizado mais ou menos na 8ª semana de gestação e servirá como base para a contagem das semanas gestacionais.

Responsável por aquecer o coração dos papais com o som dos batimentos fetais e proporcionar a visão das principais características do bebê, a importância do ultrassom vai muito além. O teste é útil para determinar a idade gestacional o que será vital para determinar o tempo limite da gestação. Também ajudará a determinar a saúde do bebê durante toda a gestação, identificar quaisquer anormalidade fetais  e examinas a placenta e artérias uterinas afim de se certificar de que o fluxo sanguíneo pelo cordão umbilical está perfeito.

O segundo importante ultrassom é realizado por volta das 12 semanas, na 20ª semana é a vez do ultrassom morfológico e o último e indispensável ultrassom deve ser realizado por volta das 35 semanas de gestação  onde o principal é a analise da posição do feto, condição da placenta e quantidade de líquido amniótico.

 

7.Translucência nucal

Esse ultrassom merece uma explicação a parte. É ele que poderá determinar se existe a possibilidade do bebê ser portador de síndrome de Dow entre outros problemas.

As pregas da nuca do bebê são medidas e é verificada a existência do osso nasal do feto.

Pode ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana de gestação. O momento ideal para a realização do exame é na 12a semana.

8.Curva glicêmica

Por volta de 24 a 28ª semana de gravidez, o seu médico provavelmente irá recomendar um teste de glicose para ver se você está desenvolvendo diabetes gestacional , uma condição temporária em que a insulina não consegue quebrar a glicose suficiente no sangue. A condição afeta de 2 a 5 por cento de todas as mulheres grávidas.

Neste teste, você está convidado a beber um líquido com muito açúcar. Em seguida o sangue é coletado com intervalos de tempo pré-determinados. De 15 a 23 por cento das gestantes, recebem com esse exame, o diagnóstico de diabetes gestacional.

9.Teste do cotonete

É o teste realizado para determinar se existe a infecção bacteriana conhecida como estreptococo do grupo B  que pode trazer consequências graves a saúde do bebê na hora do parto. É  realizado no fim do pré-natal, entre a 35ª e 37ª semana de gestação. O teste é realizado através de um esfregaço vaginal e anal que verifica para as bactérias, o que é, na verdade, presente em cerca de 25 por cento de todas as mulheres saudáveis.

Se o teste der positivo, há uma possibilidade de 200/1 do bebê contrair a doença durante o nascimento. Isso pode levar a doenças graves como sepsia, pneumonia e meningite. No entanto, se os antibióticos são administrados por via intravenosa durante o parto o risco cai para um em 4000/1 .Antibióticos  são especialmente recomendados para gestantes com bolsa rota (perda de líquido amniótico) por mais de 18 horas antes do parto ou que apresentem febre durante o parto ou ainda entrem em trabalho de parto prematuro.

10.Cardiotocografia

Nas últimas semanas da gestação, mas ainda durante o pré-natal, e durante o parto o médico certamente irá monitorar  o bem estar fetal através da cardiotocografia. Devido às contrações, o que limita temporariamente o fluxo de oxigênio para o feto, os batimentos cardíacos do bebê irão, naturalmente, mudar durante o trabalho de parto até o nascimento . Mudanças fora da faixa normal (cerca de 110 a 160 batimentos cardíacos fetais por minuto) podem indicar que algo não está com o bebê. O bebê pode não estar recebendo oxigênio o suficiente e medidas emergências podem ser tomadas.

O procedimento no entanto é bem simples. Dois cintos são enrolados em torno do abdômen da mãe – um que mede a frequência cardíaca do bebê e outro que mede as contrações. Os resultados são avaliados pelo médico em tempo real.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *