A inseminação artificial ou inseminação intrauterina (IIU) é  uma técnica de reprodução assistida em que o sêmen é injetado dentro do útero. Considerada uma técnica de baixa complexidade, pode ser realizada no consultório médico.

Quem tem indicação para Inseminação Artificial

  • Mulheres com dificuldade de ovulação: Não ovulam naturalmente e  normalmente apresentam ciclos irregulares. Mulheres com SOP em alguns casos, tem indicação para Inseminação Artificial.
  • Muco cervical Hostil( presença de muco espesso): O muco cervical muda ao longo do ciclo se tornando adequado para cada período isoladamente. Durante o período fértil, esse muco é mais fino, elástico e permite que os espermatozoides consigam se mover com facilidade até o coló do útero, útero e trompas. Quando o muco é hostil, ele continua grosso, espesso e acaba blindando e impedindo que os espermatozoides adentrem o útero e cheguem as trompas.
  • Homens com sêmen discretamente alterados: Quando o problema é na quantidade e não na qualidade dos espermatozoides a IA é indicada. Os espermatozoides apresentam morfologia normal, mobilidade adequada, porém em menor quantidade que o desejável. Nesses casos, é mais difícil que a gravidez aconteça de forma natural. Embora possível, a espera pode ser mais longa do que o desejado. Na inseminação artificial, os espermatozoides passam por processo de purificação e só os melhores são selecionados. Sendo assim, apenas os capazes de fecundar o óvulo são injetados no útero, aumentando as chances de concepção.

A inseminação artificial é indicada para qualquer mulher?

A mulher precisa de pelo menos um ovário e trompa correspondente para realizar a IA. A fecundação do óvulo acontece dentro da trompa de forma natural. Sendo assim , é preciso que o ovário libere o óvulo e a trompa tenha condições para levar o óvulo fecundado até o útero. O melhor exame para avaliar essas condições das tubas uterinas é a histerossalpingografia.

Mulheres que não tenham as trompas devem realizar uma Fertilização in vitro.

Já para os homens a necessidade é de pelo menos 5 milhões de espermatozoides progressivos por ml ejaculado. Para chegar a esse número, é preciso avaliar a quantidade total dos espermatozoides. Em seguida  estudar a porcentagem de espermatozoides móveis rápidos e lentos. Quando a motilidade estiver  abaixo de 40% e a morfologia estrita de Kruger estiver abaixo de 5%, as chances de sucesso com inseminação artificial são bem baixas . Homens que passaram por vasectomia, também não apresentam condições de realizar a inseminação artificial. Nesses casos a recomendação é de FIV aliada a ICSI.

inseminação artificialPasso a Passo da Inseminação Artificial

Os procedimentos para realizar a inseminação artificial tem início a partir do segundo dia do ciclo menstrual. A mulher se submete a aplicação do hormônio FSH que irá recrutar alguns folículos dos ovários. Ele então  estimula o crescimento desses folículos contendo óvulos em seu interior. Cada folículo contém um óvulo.

Essas doses são diárias por cerca de 9 a 10 dias. Nesse período são realizados exames de ultrassons a cada 2 a 3 dias.  A intenção é acompanhar o crescimento dos folículos e se necessário  realizar  ajustes nas doses administradas. Quando um mais  folículos atingem o tamanho de 18mm, começa a aplicação de HCG (gonadotrofina coriônica). O HCG  promoverá o amadurecimento do óvulo e o rompimento dos folículos (ovulação) após cerca de 36 horas de sua aplicação.

Duas horas antas da ovulação acontece a coleta do sêmen através da masturbação. Esse sêmen então é levado ao laboratório onde a analise e seleção dos espermatozoides será realizada. O sêmen é preparado, purificado e então introduzido no útero através de um fino cateter. Esse procedimento é indolor. A mulher permanece deitada por 20 a 30 minutos para que os espermatozoides atinjam as tubas uterinas.

Informações importantes:

  • A inseminação artificial apresenta taxas de sucesso de 25% a 35%, a depender da idade da mulher e de cada caso específico.
  • A chance de gêmeos depende do número de óvulos liberados. Esse controle é realizado através das doses dos hormônios utilizados.
  • Quando o número de folículos acima de 18mm é maior de 4, o risco de gravidez múltipla com a inseminação artificial é grande e nesses casos o procedimento é cancelado.
  • O custo do tratamento de inseminação artificial é bem mais acessível que os tratamentos mais complexos, como a fertilização in vitro.

Fonte: Mater Prime

Deixe uma resposta