Motivo de infertilidade, as trompas obstruídas e aderências tubárias, podem dificultar ou mesmo impedir o encontro de óvulo e espermatozoide anulando as chances de gravidez.

Pode-se dizer que é nas trompas que a vida começa. Após a ovulação, o óvulo é captado por uma das trompas onde poderá ser fecundado por um espermatozoide até 24 horas após sua liberação.

As trompas são a única ligação entre os ovários e o útero. Por isso um dos personagens principais do sistema reprodutor feminino.

Os sintomas de aderências ou trompas obstruídas não estão presentes para a maioria das mulheres que sofrem com o problema. No entanto, o principal indício de problema nas tubas é a falta de sucesso nas tentativas para engravidar. Raras são as queixas de dor ou incômodo causado por trompas obstruídas.

As aderências ou obstruções tubárias são diagnosticadas através da histerossalpingografia. Exame em que se injeta contraste líquido por via vaginal. O contraste deve preencher toda a cavidade uterina e subir até as trompas.

Através de radiografia, é possível visualizar todo o caminho percorrido pelo contraste. Trompas saudáveis e sem obstrução e aderências, são visualizadas através de linhas contínuas que mostram toda a extensão das trompas.

A histerossalpingografia também consegue diagnosticar anomalias uterinas, pólipos e miomas que por ventura venham dificultar a ocorrência de  gravidez.

Não existe tratamento medicamentoso para desobstrução das trompas, a única forma de livrar as trompas das massas que as preenche é através de cirurgia que não é indicada para todos os casos. O uso de medicamentos se faz necessário quando o agente causador da obstrução foi algum tipo de inflamação ou infecção, como a hidrossalpinge por exemplo. O medicamento trata a causa mas não é capaz de promover a desobstrução.

É importante salientar que a indicação cirúrgica não acontece para todos os casos de obstrução ou aderência das trompas. O médico é quem avalia o quadro e analisa se a cirurgia poderá ser bem sucedida e o tipo de cirurgia a ser realizada, que pode acontecer através laparoscopia ou tipo cesariana.

Quando a obstrução é apenas em uma das trompas, as chances de engravidar, ainda que reduzidas, estão presentes e aumentam após o tratamento hormonal para induzir a ovulação, ou para tratar inflamação ou infecção que tenha causado a obstrução da outra trompa.

Quando a obstrução é bilateral, ou seja, em ambas as trompas e a cirurgia não consegue corrigir o problema, é possível engravidar através de Fertilização in Vitro.

Causas para trompas obstruídas e aderências tubárias

  • Endometriose
  • Infecções no útero e nas trompas, normalmente causadas por doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia
  • Aborto, principalmente sem assistência médica
  • Salpingite, que é a inflamação nas trompas
  • Gravidez tubária prévia
  • Apendicite com rompimento do apêndice, pois pode causar infecção nas trompas
  • Cirurgias ginecológicas ou abdominais.

É possível desobstruir as trompas de forma natural?

Quando a obstrução das trompas é severa o método mais indicado para engravidar é sem dúvida a FIV.  No entanto existem muitos relatos de mulheres que conseguiram remover aderências  através de métodos naturais.

Dong Quai, raiz de gengibre, raiz de paeonia e Hawthorn são as ervas mais indicadas para limpeza das trompas de falópio.

A massagem da fertilidade e simples e pode soltar aderências e ajudar no combate de inflamações.

A massagem deve ser realizada ao menos 1 vez por dia  do primeiro ao décimo quarto  dia do ciclo ou até o dia de sua ovulação.
Deite-se de forma confortável e dobre os joelhos. Com as mãos úmidas com óleo faça movimentos circulares ao redor do umbigo de forma que toda a área abdominal seja massageada. Repita o movimento por no minimo 30 vezes.

A limpeza da fertilidade por sua vez é capaz de eliminar toxinas que diminuem a fertilidade. Elimina também toxinas presentes nas trompas.

Leia: Limpeza da Fertilidade- Seu corpo preparado para engravidar rapidamente

Mulheres com mais de 35 anos devem procurar ajuda médica após 6 meses de tentativas sem sucesso.

Para mulheres com menos de 35 anos a histerossalpingografia se faz necessária após 1 ano de tentativas sem sucesso.

Deixe uma resposta